Etapa Discipular/Filosófica.

Para compreendermos o objetivo da etapa do discipulado na caminhada do discernimento vocacional, vamos recorrer aos apontamentos da nova Ratio Fundamentalis Institutionis Sacerdotalis (2016). Nela, verificamos a necessidade de entender o conceito de discípulo. “O discípulo é aquele que é chamado pelo Senhor a ficar com Ele (cf. Mc 3,14), segui-lo e tornar-se missionário do Evangelho. Ele aprende cotidianamente a entrar nos segredos do Reino de Deus, vivendo uma relação profunda com Jesus.”

Assim, a vivência do discipulado com Cristo é um caminho pedagógico-espiritual, como nos recorda o a nova Ratio “O Dom da vocação presbiteral”. Logo, “a experiência e a dinâmica do discipulado exige pedagogicamente uma etapa específica, na qual se apliquem todas as energias possíveis para enraizar o seminarista na sequela Christi, ouvindo sua Palavra, guardando-a no coração e colocando-a em prática.” Neste sentido, a etapa de filosofia/discipulado deve ajudar o seminarista a “amadurecer a decisão definitiva de seguir o Senhor no sacerdócio ministerial e no acolhimento dos conselhos evangélicos, de acordo com as modalidades próprias desta etapa.”

O amadurecimento humano do candidato deve ser aprofundado na referida etapa. Como nos recorda a nova Ratio, “ao mesmo tempo que prepara a etapa dos estudos teológicos, [...] esta fase permite, mediante a abertura ao Espírito Santo, um trabalho sistemático sobre a personalidade dos seminaristas. ” Com a finalidade de chegar a uma sólida maturidade exigida dos pastores, “além do essencial acompanhamento pelos formadores e pelo Diretor Espiritual, para integrar os aspectos fundamentais da personalidade, em certos casos poderia servir de ajuda um específico acompanhamento psicológico. ”

A dimensão intelectual se dará pelo especial dedicação à filosofia e as ciências humanas. Como reitera a Ratio, “é necessário que que esta seja justamente valorizada e compreendida nas suas específicas finalidades, e não seja considerada simplesmente como ‘passagem obrigatória’ para aceder aos estudos teológicos.” Assim, ao findar a etapa dos estudos filosóficos, o seminarista tendo alcançado uma liberdade e uma maturidade interior, deve dispor dos instrumentos necessários para iniciar o caminho da configuração ou etapa da teologia.




Pe. Pedro Jorge Delgado Bento. Reitor da Etapa Discipular/Filosófica.

Seminaristas

Desenvolvido por Cúria Online do Brasil